Carta Suicida

Standard

“Quantas vezes não peguei um pedaço de papel, e comecei a escrever sobre tudo?! Na queles papais costumava agradecer por tudo. Costuma dizer que a culpa não era de vocês.
Mas a culpa é toda sua. Foram vocês que me botaram pra baixo, não adianta dizer que não foi, porque foi sim. Foram você que mostraram o quanto eu não fazia diferença e que eu era apenas mais um peso, por conta das minhas notas baixas e falta de disciplina ou coisa do tipo. Foram meus “amigos” que me botaram pra baixo também, me virando as costas, mas educadamente, sim educada mente porque eles perguntavam se eu estava bem mas eu sabia que ele perguntavam apenas por educação.
Bom, a culpa não é de vocês por eu estar tentando mais um vez me matar, na verdade essa culpa eu assumo toda a responsabilidade. Porque sou eu que estou sendo fraca, eu poderia muito bem ir a outro lugar, conhecer pessoas novas, mudar de estado, pais, eu poderia ir para onde eu quisesse, mas não sou capaz disso, eu estou sendo tão fraca, que estou esperando ate o ultimo minuto que me liguem e diga que eu não posso fazer isso, que vocês sentirão minha falta, que sou importante e insubstituível.
Eu peço desculpas agora, por todo o trabalho que dei a vocês, por não ser a filha perfeita, nem a melhor amiga de todas, por não ter ótimos conselhos, nem ter o melhor corpo ou cabelo, desculpa pelas nota ruins, e pelas broncas que levei da cordenadora e ela ligou reclamando de mim.
Obrigado, pelos momentos bom que vocês me deram, não foram muitos, mas quero pensar em todos eles antes de deixar esse mundo, cheio de injustiça e preconceitos. Vocês foram importantes, em cada momento, mas como já disse, não aguento mais nenhum minuto aqui, nem mais um segundo.
Eu quero que vocês sigam enfrente, sempre sorrindo, quero que sempre lembre apenas dos momentos bons que passei com vocês, e por favor não chorem, eu já chorei tanto e sei que só faz doer e trazer alguns soluços…
Minha vida pode ter sido ruim em muitos momentos, mas espero que a suas sejam as melhore…
Sentirei saudades.”

Ao terminar de ler a carta o pai da menina chora, chora muito. Ele era o único que a entendi, ele era o unica em quem ela contava. Ele sempre a botava no colo, e ela molhava toda a sua blusa de lagrimas, eles eram tão confidente, eles brincavam. Mas dessa vez ela não contou com ele, ela só quis ir embora, o pai olha mais um vez pro chão do banheiro e se pergunta, porque ele não foi capas de ajudar, então ele corre para o quarto dela e ver outro papel em sua cama. Ele vai ate a mesma se senta e abre o papel com cuidada.

“Pai, sei que provavelmente, você sera o primeiro a entrar no meu quarto, sei que você está chorando. Eu te peço que não chore, por mim. Desculpa não ter ido te contar sobre isso, sei que se eu contasse, não seria capas de fazer o que estou prestes a fazer.

Você  me convenceria, que isso não é um boa coisa, você diria que me amava e que ficaria ao meu lado, eu sei que isso é verdades, mas para não fazer isso eu teria que deixar de falar ou ver todos.

Pai, eu quero que você conte a minha mãe que eu a amo muito, conte que sentirei falta dela, e das brigas também, porque eu via que antes de dormi ela ia me dar um beijo e me cobri, eu sei porque sempre estava acorda. Pai, fala para os meu irmãos, que apesar de tudo, eles são os melhores irmãos do mundo. Explica pra Lala, que eu fiz um viagem, explica a ela que um dia ela vai voltar a me ver, não diz o que eu fiz de verdade, ela é muito pequena. Pai, você sabe quem são meus verdadeiros amigos, você sabe de tudo sobre mim, então diz a eles que eles são os melhores, diz mesmo, porque eles são, os outros é que me fizeram ser essa pessoa. 

Pai, eu quero que no meu enterro, você diga a todos que vão estar lá, que eu agradeço, mesmo que seja um pessoa distante, diz que a presença dela(e) é mesmo muito importante.

Pai, agora essa é pra você, você foi, você é tão importante, é tão difícil de te deixar, é difícil mesmo. Imagina o meu lado, eu já chorei tantas vezes no seu colo, você já me pós pra dormi, mesmo eu estando grandinha, você todos os dias dizia o quanto me amava, a gente brincava, mesmo eu não sendo aquela criança, mas eu sempre serei sua princesinha. Sabe meu guarda roupa, a terceira porta, você abre la na parte de baixo tem três gaveta, abra a ultima, lá estão meus bens mais valiosos fotos e a corrente que eu tanto amo, lá tem alguns textos, quero que você só mostre isso, aos meus irmãos, a minha mãe, a Lala e meus verdadeiros amigos. Eu quero que a corrente fique pra Lala, mande meus amigo, minha mãe e meus irmãos escolherem algo para eles, mas eu quero que você fique com um caixa, ela está bem no fundo da gaveta. Pronto ela é sua, lá tem nossas fotos, e textos que eu escrevi para nós, porque alem de pai e filha, somos confidentes certo?

Pai, te amo muito, não fique triste por mim. Na verdade quero que você seja feliz apenas isso, você merece toda a felicidade do mundo. Se eu for para o céu, eu vou fazer um pequena proposta pra ser seu anjo da guarda, ok? Eu quero que você olha para qualquer foto nossa e lembre apenas das coisas boas, então eu quero que você sorria sempre, sem derrubar um lagrima. Foi isso que você me disse, nós precisamos ser fortes. Ate daqui apouco pai, eu cuidarei de você.”

Então ele limpou as lagrimas e ligou para o socorro, logo para as pessoas que a garota tinha sitado em sua carta. No dia do enterro dela, ele fazia seu trabalho agradecendo a todos, e nenhuma lagrima foi derrubada de seus olhos, mas seu coração estava alagado.

Beijos e Abraços, Andressa

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s